DNA, há meio século impulsionando descobertas sobre a vida
Exposição reúne informações importantes sobre a revolução causada com a descoberta da estrutura do DNA.

Por Karla Bernardo Montenegro

Arame, jujuba e um improvisado mercadinho.Estão prontos os elementos que conseguem a importante tarefa de despertar a atenção de uma criança para algo tão novo quanto ela:os conhecimentos da genômica. É de criança que se aprende e se fixam conceitos. Hoje, para grande parte delas, falar sobre gens, seqüência de DNA ou alimentos transgênicos já virou rotina.



O contagiante sorriso da criança que experimenta o conhecimento sobre as ciências da vida.


Os cada vez mais populares testes de paternidade e o crescimento da discussão em torno dos alimentos geneticamente modificados estão saindo do âmbito apenas dos laboratórios e entrando nas casas da população através da televisão, do teatro, do carnaval e finalmente se tornando assunto para ser discutido em família. Graças a descoberta de Francis Crick e James Watson em 1953 as crianças de hoje já sabem muito mais dos chamados "segredos da vida" do que seus pais e avós.

O rápido desenvolvimento do conhecimento no campo da biologia molecular proporcionou respostas para inquietantes perguntas sobre nós mesmos. Hoje já podemos responder grande parte delas.

Para comemorar os cinqüenta anos do marco do início das pesquisas em torno do DNA a Casa da Ciência da Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ) em parceria com o British Council e o Museu da Vida (Fiocruz), montou uma exposição em comemoração aos cinqüenta anos da descoberta da estrutura da dupla hélice de DNA.

Através de uma linha do tempo, o visitante acompanha desde 1953 até 2003 a evolução das descobertas na área da genética e confere as conseqüências para a vida humana.

Interessante tanto para leigos quanto para profissionais, a mostra proporciona tanto momentos de experimentação, como a extração das células da mucosa bucal para demonstrar como é simples obter uma amostra de código genético, quanto instantes de reflexão: sem informações no rótulo, você saberia distinguir quais alimentos em uma prateleira de supermercado podem ter sido geneticamente modificados?

Estas e outras surpresas podem ser conferidas até 16 de maio de 2004. A Casa da Ciência fica na rua Lauro Muller, 3 em Botafogo. A entrada é franca.

 

Reflexões sobre o DNA

Para os interessados em se aprofundar no tema e refletir sobre o processo histórico desde a descoberta do DNA até as novas tecnologias no campo da genética uma boa dica é o ciclo de palestras programadas na Casa da Ciência. Intitulado " DNA para Poetas", os encontros acontecem todas as terças-feiras e a cada semana especialistas discutem com estudantes, professores, profissionais e público em geral vários aspectos ligados a descoberta da dupla hélice. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do telefone (21)2542.7494.

Confira a Programação:

13 de abril
A Genética vai ao Teatro
Nigel Townsend
Diretor da Cia. de Teatro Y Touring (Reino Unido)

20 de abril
Peripécias e Contingências
na Descoberta da Estrutura do DNA
Darcy Fontoura
Instituto de Biofísica/UFRJ

27 de abril
Os Avanços da Genética e suas Conseqüências para
a Sociedade: do Exame de DNA à Clonagem
Rodrigo Soares M. Neto
Departamento de Genética/UFRJ

04 de maio
O DNA na Conservação das Espécies
Antonio Mateo Sole-Cava
Departamento de Genética/UFRJ

Boxes:

Publicação de 1953.
A Revista Científica Nature apresenta o primeiro trabalho sobre a estrutura do DNA

 

Cientistas pioneiros nos estudos sobre o DNA


Da esquerda para a direita: Francis Crick e James Watson .

Francis Crick se tornou o mais influente teórico da Biologia Molecular. Recebeu o prêmio Nobel em 1962 e atualmente trabalha no SalkInstitute for Biological Studies NC.

James Watson, assistente de Crick,se tornou o primeiro diretor do Projeto Genoma Humano Americano e atualmente ministra palestras sobre DNA.Também recebeu o prêmio Nobel em 1962.

Veja Mais - Artistas plásticos traduzem para a tela o segredo da vida