Medicamentos contra hipertensão reduziriam risco de Parkinson
Quarta-Feira 06 de Fevereiro 2008 Fonte : Último Segundo

AFP

Pacientes tratados contra a hipertensão com uma categoria de medicamentos chamados inibidores cálcicos poderiam também correr menos riscos de desenvolver o mal de Parkinson, segundo estudo publicado nesta quarta-feira.

De acordo com a pesquisa, realizada por pesquisadores suíços, pacientes tratados durante um longo período de tempo com inibidores cálcicos têm 23% menos riscos de desenvolver Parkinson, infecção neurológica incurável, em relação àqueles que não passaram pelo tratamento.

"O uso a longo prazo de inibidores cálcicos foi associado a um risco diminuído de desenvolvimento do mal de Parkinson, enquanto uma associação deste tipo não foi observada com outros medicamentos utilizados para combater a hipertensão", explica o autor principal do estudo, Christoph Meier.

Entretanto, Meier e seus colegas, que monitoraram mais de 7.000 homens e mulheres maiores de 40 anos na Grã-Bretanha, não conseguiram estabelecer através de qual mecanismo estes medicamentos reduzem o risco de ter Parkinson.

Os inibidores cálcicos diminuem a pressão sangüínea impedindo que o cálcio penetre nas células do coração e nos vasos sangüíneos. O resultado é uma dilatação dos vasos e uma menor contração do coração.

Os medicamentos Dilacor, Adalat, Cardazem, Procardia e Covera são inibidores cálcicos.

O mal de Parkinson é uma doença degenerativa que afeta principalmente pessoas com mais de 60 anos, e se caracteriza por tremores,rigidez dos músculos e lentidão dos movimentos.

O estudo foi publicado pela revista Neurology, da academia americana de neurologia.

Enviar este clipping por Email Imprimir este clipping