"Pai" de 5 mil bebês inova com implantação de centro de pesquisa de células-tronco
Segunda-Feira 19 de Dezembro 2005 Fonte : Último Segundo

Por Deborah Bresser

"Não vivo as vitórias. Agradeço por consegui-las, mas vivo aqueles que não puderam ter seus filhos. São eles que me fazem continuar buscando soluções." A declaração é do especialista em reprodução humana, Roger Abdelmassih, que registrou, no início do mês, o nascimento de 5 mil bebês. A mais nova empreitada do médico é um centro de pesquisa de células-tronco. "Não me preocupo quanto a tecnologia vai custar. A pesquisa, para mim, está em primeiro lugar, garante. "As pessoas me procuram, pois confiam em mim, mas 80% do sucesso do procedimento está na manipulação realizada no laboratório. E nós trabalhamos com resultados", afirma.

Por ano, são realizados em sua clínica, localizada na zona sul de São Paulo, cerca de 1,5 mil ciclos de fertilização. Em média, 35% geram filhos nascidos por tentativa. Em mulheres até 35 anos, a taxa sobe para 55% por tentativa. Só para comparar, um casal sem nenhum tipo de impedimento para procriar, possui 20% de chance de 'ficar grávido', a cada mês.

O tratamento consiste em três tentativas, a um custo de R$ 15 mil cada ciclo, cerca de R$ 45 mil, fora os exames e consultas. O preço de um carro de alto padrão. Quem gasta R$ 47.590 mil para ter um Honda Fit novinho na garagem, ou uns R$ 46.560 mil para passear de EcoSport não vai fazer economia na hora de tentar manter a espécie. "Não digo a ninguém "vou te dar um filho". Deixo claro que posso ajudar a encontrar os caminhos."

FILHOS DE PROVETA - Neles é comum o caso ser resolvido com a ICSI, a injeção intracitoplasmática de espermatozóide. Nas mulheres é possível, entre outras técnicas, 'rejuvenescer' os óvulos com a transferência de citoplasma. Quando não há chances de produzir óvulos saudáveis, ainda resta a doação de óvulos. "Nem todas aceitam, mas muitas compreendem que elas darão vida àquele embrião", defende Abdelmassih.

No laboratório, sob a coordenação de Soraya Abdelmassih Oliveira, filha do médico, os técnicos trabalham com o que há de mais moderno na área. Além da ICSI (que associada à fertilização in vitro convencional permite que um único espermatozóide seja injetado dentro de cada óvulo), existe a Assisted-hatching (AHA), que permite fazer aberturas na membrana do óvulo fecundado em laboratório para facilitar a implantação do embrião no útero. Eles fazem ainda biópsia do embrião, congelamento de embriões e spindle view (que permite a seleção de cromossomos).

BOXE 1

CÉLULAS-TRONCO NO DENTE DE LEITE O dente de leite é a mais nova fonte de pesquisas com células-tronco. "São as células mais próximas daquelas obtidas diretamente no embrião", revela Alexander Kerkis, professor doutor da Universidade de Novo Sibirsk, na Rússia, contratado por Roger Abdelmassih para cuidar de seu Centro de Pesquisas. Kerkis, que há 15 anos trabalha com células-tronco, não veio sozinho. Sua mulher, Irina Kerkis, geneticista e especialista em células-tronco, dá consultoria para os estudos.

A reprodução humana é o objetivo inicial das pesquisas. A idéia é poder oferecer aos casais inférteis, que hoje recorrem a doadores, a chance de ter filhos com seus próprios espermatozóides e óvulos. Alexander Kerkis já conseguiu desenvolver os dois a partir de dentes de leite. O desafio é fazer esses espermatozóides e óvulos sobreviverem quando implantados no corpo humano.

Enviar este clipping por Email Imprimir este clipping