Eu, minha mulher e minhas cópias - Mais Detalhes

Tempos Modernos

Eu, minha mulher e minhas cópias (Multiplicity, EUA, 1996)aborda dois dos assuntos mais em moda atualmente: a falta de tempo e a clonagem.A história fala de um homem oprimido e angustiado pelos seus inúmeros compromissos e afazeres no trabalho e em casa - certamente um problema freqüente de todos nós. Quando as coisas parecem ter fugido totalmente de controle, surge uma aparente solução: clonar a si próprio!
O filme conta as peripécias dessa cópia e das outras (!) que acabam surgindo. O filme é um "água com açúcar" previsível; possivelmente, você sequer vai reparar se a transmissão interromper antes final. Mas é um veículo interessante para estimular uma reflexão sobre o ritmo enlouquecido da vida moderna e, principalmente, sobre a clonagem.
Pode ser um instrumento curioso para acionar uma discussão sobre aspectos tais como: Até que ponto a constituição genética pode interferir na personalidade de uma pessoa? Um clone seráuma cópia fiel da matriz? Quais são os riscos envolvidos na clonagem de humanos e outros seres vivos?
O elenco é composto por vários Michael Keaton e Andie MacDowell, sob a direção de Harold Ramis.

Luisa Massarani, Museu da Vida COC-FIOCRUZ


Título Original: Multiplicity
Título: Eu, minha mulher e minhas cópias
Gênero: Ficção Científica / Comédia
Elenco: Michael Keaton, Ann Cusack, Zack Duhame, Eugene Levy, Andie MacDowell
Richard Masur, Brian Doyle Murray, Katie Schlossberg, Harris Yulin
Lançamento: 17/07/1996
Duração:
117 minutos
Diretor: Harold Ramis
Escrito por: George Fenton
Produzido por: Trevor Albert, Harold Ramis
Produção Executiva: Lee R. Mayes
Diretor de Fotografia: Lazlo Kovacs
Produzido por: Phoenix Pictures
Distribuido por:
Columbia Pictures